Áustria (Österreich)



Conforme havia comentado, na Sexta-Feira (21/05/2010), Netinha e eu saímos de Budapeste e "cortamos o estradão" rumo a Vienna, conhecendo, de passagem, Bratislava, a Capital da República Eslovaca.

Chegamos à Capital Austríaca no início da noite desse dia e, no mesmo dia, assistimos a um Concerto com a Schloss Schönbrunn Orchester Vienna, sob a Regência do Maestro Guido Mancusi e os Cantores Líricos Klaudia Wagner (Soprano) e Thomas Weinhappel (Barítono), que interpretaram um Repertório dedicado a Johann Strauss Filho (1825 - 1899) e Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791)!

Vienna é uma cidade não apenas para se ver, mas também para se ouvir!!! Em dois diferentes Teatros, são exibidas duas diferentes Óperas no mesmo dia (Vienna Staatsoper e Vienna Volksoper), sendo que, no dia seguinte, outras duas Óperas diferentes são exibidas!!! Só para citar as Óperas, pois, além das mesmas, também acontecem diversos Concertos e Recitais!!!

A Áustria é o país-natal de diversos Compositores tais como Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791) (retrato à esquerda), Franz Schubert (1797 — 1828), Franz Lehár (1870 — 1948), Anton Bruckner (1824 — 1896), Franz Joseph Haydn (1732 — 1809), além de Johann Strauss, Johann Strauss Filho (retrato à direita), Josef Strauss e Eduard Strauss, a famosíssima Família de Compositores que se celebrizou pelas belíssimas Valsas, Polcas, Marchas e Operetas, sendo que Johann Strauss é autor da famosíssma "Marcha Radetzky" e Johann Strauss Filho é Autor de conhecidíssimas Valsas tais como "Sobre o Belo Danúbio Azul", "Contos dos Bosques de Vienna", "Valsa do Imperador", "Vozes da Primavera", "Sangue Vienense", etc...

Diversos Compositores que não nasceram na Áustria também fixaram residência em Vienna, devido à importância musical que sempre foi uma característica da Capital Austríaca. Em Vienna já residiram diversos Compositores do quilate de Ludwig van Beethoven (1770 - 1827), Johannes Brahms (1833 — 1897) e também Gustav Mahler (1860 - 1911), que é o meu Compositor preferido!

O que será mostrado nessa página é apenas um pequenino resumo já que a Áustria e sua Capital Vienna são riquíssimas em História, e muita Música!!!

Todo o Roteiro (Leste 21) foi composto de cidades nas quais estivemos pela primeira vez. A única exceção foi Vienna, que foi a única cidade nessa Viagem a qual Netinha e eu estávamos visitando pela segunda vez. Já havíamos conhecido Vienna na Viagem que fizemos em 1994 (Grande Circuito Europeu), ocasião na qual também havíamos conhecido Salzburgo (a cidade-natal de Mozart) e Insbruck (a Capital do Tirol)!

Para que vocês sintam a mesma emoção que Netinha e eu sentimos na Áustria, a leitura desse pequeno resumo será ao som da belíssima Valsa "Sobre o Belo Danúbio Azul" ("An Der Schönen Blauen Donau") - Opus 314 - de Johann Strauss Filho, interpretada pela Vienna Opera Orchestra, sob a regência do Maestro Peter Falk.

Na foto abaixo, o famosíssimo Schönbrunn, que foi a Residência de Verão do Imperador Francisco José (Franz Joseph) e de sua famosíssima Esposa Elisabeth Amalie Eugenie von Österreich-Ungarn (1837-1898), que era carinhosamente conhecida como Sissi d'Áustria e Hungria:



Os Jardins do Schönbrunn:



Um retrato da Imperatriz Sissi:



A famosa "Roda Gigante" que é uma das mais altas do mundo e cujas "gôndolas" são antigos vagões do metrô de Vienna, nos primeiros anos de operação. Em primeiro plano, um desses vagões (vermelho):



Mais uma vez, o famosíssimo Rio Danúbio, o mesmo que também banha Bratislava e Budapeste, e que inspirou Johann Strauss Filho, na Composição de sua belíssima Valsa "Sobre o Belo Danúbio Azul" ("An Der Schönen Blauen Donau") - Opus 314:



Sempre fica uma pergunta "no ar": Por que o nome "Danúbio Azul"?

As possíveis respostas são diversas e bem diferentes... Segundo a guia local na Viagem que fizemos em 1994, o mesmo só é azul em localidades interioranas, próximo à nascente, principalmente no Século XIX quando a belíssima Valsa foi composta pelo Johann Strauss Filho. Naturalmente que o rio percorrendo uma metrópole, jamais poderia ser azul...

Por outro lado, segundo o guia local dessa Viagem mais recente, o Compositor teria citado que o Danúbio é "azul", como sendo um "protesto em forma de Música", criticando a poluição do respectivo rio... Isso no Século XIX!!!

A pergunta "fica no ar"... Mas o importante é que o Danúbio é muito bonito em diversos trechos de sua extensão e a Valsa composta pelo Johann Strauss Filho é de excepcional beleza!!!

E, nas duas fotos abaixo, a famosíssima Estátua que homenageia Wolfgang Amadeus Mozart (1756 - 1791), com destaque para a Clave de Sol no belíssimo jardim:





E, no Stadtpark, "prá variar", mais alguns belíssimos jardins!!! E, ao fundo, a Estátua Dourada de Johann Strauss Filho (1825 - 1899):



Mais de perto, a belíssima Estátua que homenagia Johann Strauss Filho (1825 - 1899):



Diversos Compositores são homenageados no Stadtpark. Na foto abaixo, Anton Bruckner (1824 — 1896):



Franz Schubert (1797 — 1828):



Franz Lehár (1870 — 1948), Compositor da famosíssima Opereta "Die Lustige Witwe" ("A Viúva Alegre"):



E, ao lado do Stadtpark, o Stadtgartendirektion:



E, passeando pelas ruas de Vienna, o que não faltam são belíssimas construções históricas. Lembrando que, também em Vienna, muitos edifícios foram castigados pela segunda guerra mundial, e foram reconstruídos no mesmo estilo. Na foto abaixo, a Catedral de Santo Estêvão, com aquele mesmo "probleminha" que eu já mencionei, com relação às ruas estreitas, nos bairros históricos, que dificultam uma "foto panorâmica", "obrigando" o fotógrafo a um "close excessivo":



Uma simpática rua numa parte mais antiga, que nos lembra uma "Cidade Medieval":



E a Ópera!!! Conforme já mencionei nesse site, a programação de Ópera é intensa, não apenas em Viena, mas também em diversas outras cidades inclusive na Europa do Leste!!!. Pode-se assistir a diversas Óperas no mesmo ano, bem diferente do Brasil, onde no Teatro Municipal de São Paulo-SP, a gente pode assistir a no máximo 4 Óperas no período de um ano, isso porque a Cidade de São Paulo-SP é uma das mais ricas do nosso país, em termos de Música Erudita...

Na foto abaixo, a fachada do famosíssimo Vienna Staatsoper:



Em Vienna são exibidas duas diferentes Óperas no mesmo dia, no Vienna Staatsoper e no Vienna Volksoper, sendo que no dia seguinte, outras duas Óperas diferentes são exibidas!!!

A única dificuldade existente é que os ingressos precisam ser adquiridos com alguma antecedência, já que nos dias que antecedem às respectivas apresentações, a lotação quase sempre se encontra esgotada!!!

Na foto abaixo, a lateral do famosíssimo Vienna Staatsoper:



E, como se toda essa intensa programação não bastasse, o Vienna Staatsoper exibe simultaneamente a Ópera num "telão", para que a mesma possa ser apreciada pelas pessoas que não tenham conseguido adquirir o ingresso e/ou não tenham condição financeira para tal. Nesse Sábado (22/05/2010), a Ópera que estava sendo encenada era "L' Italiana In Algeri" ("A Italiana Em Argel") de Gioacchino Rossini!!! E, como o idioma original dessa Ópera é o Italiano, o "telão" também apresentava a Ópera legendada em Alemão, que é o idioma falado na Áustria!



Lógico que o ingresso pode ser comprado de um "cambista", por um preço bem mais caro... No entanto, não é recomendado, pois, de acordo com as informações que recebi dos Guias Turísticos, o ingresso pode ser falso, apesar do preço oscilar entre EUR 50,00 e EUR 90,00 (R$ 120,00 a R$ 220,00)!!! Os "cambistas" de Vienna só servem mesmo para posar para fotos com seus belos trajes de época:



E, ao lado do Vienna Staatsoper, também existe a "calçada da fama", com as estrelas de cinco pontas com os nomes de diversos excelentes Compositores e/ou Regentes que já estiveram no respectivo Teatro. Na foto abaixo, o nome do Gustav Mahler, o meu Compositor preferido:



Esse excelente Compositor nasceu no pequeno burgo de Kalischt, na Região da Bohemia (hoje República Theca), no dia 7 de Julho de 1860 e faleceu em Viena, no dia 18 de Maio de 1911. Filho de uma Família Judia que fazia parte de uma minoria alemã que vivia na Bohemia, Gustav Mahler afirmava: "Sou três vezes apátrida! Como natural da Bohemia, na Áustria; como Austríaco, na Alemanha; e como Judeu, no mundo inteiro. Em toda parte um intruso, em nenhum lugar desejado!"

Tendo vivido uma vida dificílima, repleta de conflitos dos mais diversos, Mahler conseguiu ser um dos melhores Compositores e Regentes do seu tempo!!! Se Ludwig van Beethoven (1770 - 1827) foi o primeiro a incluir a voz humana numa Sinfonia (a famosíssima Sinfonia N° 9 - com o Poema "Ode À Alegria" de Friedrich Von Schiller), Mahler não apenas foi o segundo a realizar tal façanha, como também foi um verdadeiro Mestre na Instrumentação, valorizando de modo incomum os Instrumentos Musicais tais como a Tuba, o Xilofone, os Tímpanos, além de vários Instrumentos de Sopro e também de Percussão que, em sua opinião "também tinham que cantar e não apenas marcar o compasso"!

Suas nove Sinfonias, mais a Décima, que ele deixou esboçada, além das Canções "Das Lied Von Der Erde" ("A Canção Da Terra"), são verdadeiros marcos de grande evolução na Técnica de Composição Musical e de Instrumentação, no final do Século XIX!!!

Mahler regeu diversas Óperas não apenas no Vienna Staatsoper, mas também em diversos lugares do mundo, incluindo New York!!!

Esse grande Compositor faleceu com apenas 51 anos de idade, após diversas complicações cardíacas e seu corpo foi sepultado no Cemitério Grinzing, nos arredores de Vienna. Conforme ele havia pedido antes de morrer, foi escrito apenas seu nome "Gustav Mahler", em seu jazigo: "Aqueles que me procuram sabem quem eu era. Os outros não precisam saber..."





É muito difícil... faltam palavras... para poder expressar o que significa para mim, particularmente, a Obra Musical de Gustav Mahler... Eu me identifico bastante com a belíssima Orquestração de suas longas e bem elaboradas Sinfonias e Canções!!! Em minha opinião foi o melhor Compositor que a Música Erudita já conheceu, em todos os tempos!!!

Netinha e eu visitamos o jazigo de Gustav Mahler no Cemitério Grinzing no Domingo (23/05/2010) pela manhã. Na foto abaixo, o gracioso bairro Grinzing, nos arredores de Vienna, onde se encontra o Cemitério onde repousam os restos mortais de Gustav Mahler:



E, no mesmo Domingo, à tarde, Netinha e eu visitamos os famosos "Bosques de Vienna", que inspiraram diversos Compositores do quilate de Beethoven e Schubert, além do Johann Strauss Filho, que compôs também a belíssima Valsa "Contos Dos Bosques De Vienna" ("G'schichten Aus Dem Wienerwald") - Opus 325.



Junto aos "Bosques De Vienna", Netinha e eu visitamos também Seegrotte que é uma belíssima caverna, com várias galerias, por onde passa um rio subterrâneo.



Seegrotte também faz parte da História sangrenta da Europa, pois, nessas galerias, os alemães, sob o comando de Hitler, chegaram a construir no interior das mesmas uma fábrica de aviões para uso militar, tendo utilizado a mão de obra de diversos inimigos de guerra escravizados.

Na foto abaixo, "escaneada" de um cartão postal, Seegrotte durante a segunda guerra mundial:



Como é difícil se obter uma boa foto na escuridão, com ou sem o flash, segue abaixo a foto, também "escaneada" de um postal, do passeio de barco igual ao que Netinha e eu fizemos no rio subterrâneo de Seegrotte:



Próximo aos "Bosques de Vienna", Netinha e eu também visitamos a graciosa cidade de Baden, vizinha de Vienna, que é também uma cidade bastante procurada para tratamentos de saúde (não confundir com Baden-Baden, na Alemanha). Diversos Compositores também já residiram nessa localidade, inclusive o célebre Ludwig van Beethoven. Na foto abaixo, a casa onde ele residiu em Baden:



Nas duas fotos abaixo, as simpáticas ruas estreitas de Baden:






Até breve, Vienna!!! Até breve, Áustria!!! Em Baden, encerramos "com chave de ouro" a visita à Capital da Música Erudita!!! Na Segunda-Feira (24/05/2010), Netinha e eu seguimos para Praga, conhecendo, de passagem, a simpática Cesky Krumlov, na Região da Bohêmia, bem próximo à cidade-natal de Gustav Mahler!!!


Clique aqui e continue viajando conosco pelo Leste Europeu!


A todos, um grande abraço de Netinha e Ricardinho!







Voltar ao Topo